Recife

9 de janeiro de 2019 0 Por Veridiana
Recife é um município brasileiro, capital do estado de Pernambuco, localizado na Região Nordeste do país. Com área territorial de aproximadamente 218 km², é formado por uma planície aluvial, tendo as ilhas, penínsulas e manguezais como suas principais características geográficas.
 
Cidade nordestina com o melhor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M), o Recife é a quarta capital brasileira na hierarquia da gestão federal, após Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo, e possui o quarto aglomerado urbano mais populoso do Brasil, com 4 milhões de habitantes em 2017, superado apenas pelas concentrações urbanas de São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte.
 
A capital pernambucana tem, num raio de 300 km, três capitais estaduais sob sua influência direta: João Pessoa (122 km), Maceió (257 km) e Natal (286 km).
 
O Recife é sede do aglomerado urbano mais rico do Norte-Nordeste e oitavo mais rico do Brasil, além de ter o décimo quarto maior PIB do país e o maior PIB per capita entre as capitais nordestinas.

A cidade é a nona mais populosa do país, e sua região metropolitana é a sétima do Brasil em população, além de ser a terceira área metropolitana mais densamente habitada do país, atrás apenas de São Paulo e Rio de Janeiro.

 
A metrópole pernambucana desempenha um forte papel centralizador em seu estado e região: abriga sedes de instituições como a Sudene, a Eletrobras Chesf, o Comando Militar do Nordeste, o TRF da 5ª Região, a Procuradoria-Regional da Fazenda Nacional na 5.ª região, dentre muitas outras, e o maior número de consulados estrangeiros fora do eixo Rio-São Paulo, sediando Consulados-Gerais de países como Estados Unidos, China, Alemanha, França e Reino Unido.
 
O município foi eleito por pesquisa da MasterCard Worldwide como uma das 65 cidades com economia mais desenvolvida dos mercados emergentes no mundo: apenas cinco cidades brasileiras entraram na lista, tendo o Recife recebido a quarta posição, após São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília, e à frente de Curitiba.
 
Mais antiga entre as capitais estaduais brasileiras, o Recife surgiu como “Ribeira de Mar dos Arrecifes dos Navios” no ano de 1537, na principal área portuária da Capitania de Pernambuco, a mais rica capitania do Brasil Colônia, conhecida em todo o mundo comercial da época graças à cultura da cana-de-açúcar e ao pau-brasil (ou pau-de-pernambuco).
 
No século XVII, a cidade foi por vinte e quatro anos a sede da colônia de Nova Holanda, que teve como um dos administradores o conde Maurício de Nassau.
 
Após a expulsão dos neerlandeses, feita na Insurreição Pernambucana, o Recife emerge como a cidade mais importante de Pernambuco, tendo uma grande vocação comercial influenciada principalmente pelos comerciantes portugueses, os chamados “mascates”.
 
O Centro Histórico do Recife — em que pesem as demolições e descaracterizações — representa em conjunto com os sítios históricos de Olinda, Igarassu e dos Guararapes um dos mais valiosos patrimônios barrocos do Brasil.
 
Dentre as suas muitas alcunhas atribuídas, “Veneza Brasileira” é a mais conhecida. O romancista francês Albert Camus esteve no Recife em 1949 e comparou a capital pernambucana a outra cidade italiana ao descrevê-la, em seu livro Diário de Viagem, como a “Florença dos Trópicos”.

Por estar situado próximo à linha do Equador, Recife apresenta clima ensolarado e temperaturas médias elevadas a maior parte do ano; clique no link para ver alguns gráficos que representam o clima do Recife.

 

BenQ 4.0M DIGITAL STILL CAMERA

 
Vários são os atrativos turísticos de Recife que, ao longo dos anos, tornaram-se famosos em todo o Brasil; provavelmente, o mais conhecido de todos os atrativos é a praia da Boa Viagem, uma das mais belas prais urbanas do Brasil.
 
Outras praias do litoral pernambucano têm atraído cada vez mais visitantes em anos recentes; nomes como Itamaracá, Maria Farinha e, principalmente, Porto de Galinhas, têm constantemente aparecido em revistas especializadas em viagem e turismo, como candidatas às melhores praias do Brasil.
 
Entretanto, não são apenas as praias que atraem visitantes ao Recife e Pernambuco. O Estado tem tradições históricas e culturais que o diferenciam de todos os outros do país. Recife e Olinda foram ocupadas pelos holandeses por mais de 20 anos durante o período em que estavam sendo construídas; essa ocupação por parte de um país europeu protestante, somada às influências dos portugueses (Pernambuco foi uma das mais prósperas capitanias hereditárias), às origens indígenas (até hoje os costumes dos índios são preservados e valorizados) e aos costumes dos africanos (que se espalharam por todo o território, nos tempos dos engenhos), deu a Pernambuco um perfil cultural inconfundível.
 
Por exemplo, um turista pode caminhar por sobre pontes que foram projetadas e construídas pelos holandeses, visitar as inúmeras igrejas deixadas pelos portugueses, provar vários dos pratos que foram herdados da cultura indígena, e dançar no ritmo do maracatu, ritmo originário de Pernambuco (tal qual o frevo), de origem africana.
 
Para receber os visitantes, Recife tem uma das maiores infra-estruturas turísticas do Nordeste; como Recife sempre foi um dos maiores pólos regionais no Nordeste brasileiro, a infra-estrutura foi desenvolvida ao longo de décadas, o que significa que os empresários do setor estão mais do que acostumados a receber visitantes.
 
Existem hotéis de diversas categorias, a maioria dos quais próximos ao mar. O parque gastronômico do Recife está entre os melhores do Brasil, combinando restaurantes internacionais e vários restaurantes regionais.
 

Vale lembrar ainda que Recife é um bom local para se iniciar viagens pelo Nordeste. João Pessoa e Natal estão a poucas horas de carro, e há diversos vôos diários para Salvador e Fortaleza.